Como a tecnologia pode aumentar o desempenho do seu jurídico

A chamada 4ª Revolução Industrial já é uma realidade e o mundo jurídico não poderia ficar alheio aos recursos tecnológicos existentes.

Computação quântica, blockchain, big data, tudo isso pode parecer algo muito futurístico. No entanto, são recursos já disponíveis para quem quer otimizar seu negócio, prestar um melhor serviço e usar a tecnologia a serviço da eficiência profissional.

Mas, que recursos exatamente são esses, como funcionam e de que forma eles podem auxiliar no setor jurídico das empresas? Esse é o tema que vamos abordar hoje e que pode fazer toda diferença para você e seu negócio.

O que é a 4a Revolução Industrial?

 Em 2016, Klaus Martin Schwab, o engenheiro alemão fundador do evento que se transformaria no Fórum Econômico Mundial, usou pela primeira vez o termo “4a Revolução Industrial”.

Ele estava fazendo alusão a um novo momento na indústria mundial, a partir do qual tecnologias de ponta começam a ser produzidas e usadas nos processos de produção.

Assim, foi criado o conceito para definir o atual momento histórico em que os sistemas de fabricação virtuais e físicos cooperam entre si de uma forma flexível e a escala mundial, como Schwab definiu.

De fato, as tecnologias informáticas inteligentes nada têm de ficção e são uma realidade no mundo industrial, mas também nos setores de prestação de serviços. As cidades estão se revolucionando, assim como as relações sociais e profissionais.

Como funciona essa nova Revolução?

A nova Revolução Industrial conta com a criação da inteligência artificial. A criação da inteligência virtual ou artificial é basicamente a tentativa de replicar a cognição humana nas máquinas.

Em outras palavras, objetiva-se criar um sistema artificial que simule e se comporte de forma inteligente, o que possibilitaria a substituição da própria atividade humana, em certos aspectos.

O conceito pode assustar e remeter aos filmes de ficção científica em que robôs inteligentes saem do controle. Mas, fugindo da ficção, a inteligência artificial já existe em inúmeros programas informáticos e modelos de automações industriais inteligentes.

Já sabemos o quanto as máquinas revolucionaram a indústria, mas contar com a inteligência artificial vai além da simples automação.

 Usar um programa eficiente de inteligência artificial pode otimizar a produção e também todo tipo de negócio, a partir da informatização de tarefas simples, mas que demandam tempo.

Podemos citar como exemplo os diversos tipos de cálculos, organização e identificação de dados, estruturação de planilhas, confecção contratual e até atividades decisórias, etc.

Principais conceitos atuais: algoritmos, blockchain, big data e internet das coisas

 Já citamos no início do texto o termo “computação quântica”, que se refere ao desenvolvimento de algoritmos e softwares que processam informações a partir de sistemas quânticos.

Esses sistemas quânticos trabalham de acordo com princípios de entrelaçamento e sobreposição de matéria, conforme a teoria quântica.

Em termos práticos, um computador quântico poderia armazenar muitíssimo mais dados, operando de forma mais eficiente.

Mas, além disso, há outros conceitos em voga, atualmente. Vamos ver alguns deles:

Algoritmos
Basicamente, esse termo ao universo informático representa uma sequência de ações para obter uma solução específica. São fórmulas informáticas executáveis justamente para solucionar um certo tipo de problema.

Blockchain
O termo também é conhecido como “Protocolo de segurança”. Isso ocorre porque é um sistema tecnológico de registro e armazenamento de dados muito seguro, composto por blocos de informação agrupada em cadeia.

Big Data
A partir do inglês, esse termo se refere a um grande número de dados. Justamente por isso, falar em big data faz referência ao tratamento e análise de conjuntos e sistemas de dados mais complexos e com mais informações.

Tais acervos são grandes demais para serem analisados pelos sistemas tradicionais informáticos.

Internet das coisas
Nesse novo momento tecnológico, o termo internet das coisas é uma referência ao modelo de interconexão digital e virtual, a partir do qual vários aparelhos estão conectados a uma só rede de internet.

De fato, os objetos do cotidiano podem estar conectados a internet e essa é uma realidade em muitos locais, com assistentes virtuais que acendem e apagam as luzes, tocam música, desligam e ligam a televisão, etc.


Além desses termos, também vale citar as tecnologias de impressão 3D e 4D, bem como de realidade aumentada e virtual. Esses são recursos também já são utilizados em muitos negócios.

As novas tecnologias podem auxiliar no mundo jurídico?

Acabamos de falar de conceitos-chave nesse novo momento histórico que estamos vivendo, da 4a Revolução Industrial. Mas, você deve estar pensando em como essas novas tecnologias podem de fato auxiliar no mundo jurídico.

Para começar, a própria implementação do processo judicial eletrônico significou um avanço na seara jurídica. Poder protocolar processos e petições à distância auxiliou tanto os juízes e servidores, como advogados.

Agora, num mundo pós-pandemia, as audiências por videoconferência também são uma realidade.

Mas, para além disso, os softwares modernos e o uso de inteligência artificial, armazenamento e tratamento eficiente de dados pode auxiliar muito sua empresa. Alguns facilitam o controle de prazos, otimizam buscas processuais e até redigem contratos e petições.

Já existem várias soluções informáticas para automatizar atividades repetitivas da rotina do advogado e empresário.

Como a tecnologia pode aumentar o desempenho do seu jurídico

O setor jurídico das empresas também precisa se revolucionar e contar com esses recursos tecnológicos já existentes.

Podemos citar aqui alguns tipos de softwares que já estão disponíveis no mercado e podem ser usados para aumentar o desempenho do seu jurídico.

Você sabia que já existem programas que armazenam dados de clientes e processos e enviam notificações automáticas, quando há movimentação processual? Fora o que já citamos, acerca do controle de prazos. A seguir vamos ver alguns outros exemplos.

Funcionalidades de softwares para uso jurídico

Além do que já mencionamos, poderíamos citar os softwares que redigem procurações, contratos e demais documentos com base em informação armazenada.

Com certeza, automatizar esse tipo de processo reduz tempo e facilita o trabalho. Você pode estar pensando no fato de já existirem modelos prontos para peças processuais e documentos jurídicos. Mas, é diferente poder gerar um contrato e documento novo apenas preenchendo algumas informações principais num programa.

Isso também aumenta o controle e evita falhas humanas. Além disso, podemos lembrar dos sistemas automatizados de busca processual e jurisprudencial, possibilitando encontrar mais facilmente o objeto de pesquisa.

Hoje já é possível centralizar em um único programa todas as informações concernentes aos processos em trâmite perante qualquer jurisdição, sem mencionar a possibilidade de criar e manusear estatísticas jurisprudenciais ou de qualquer sorte que contribuam com o trabalho.

 Conclusão

 Viu só como a tecnologia pode aumentar o desempenho do seu jurídico? Seja com os sistemas de informatização e armazenamento de dados, com as planilhas eletrônicas ou o controle automatizado de prazos, o serviço jurídico pode se beneficiar muito com as novas tecnologias.

Portanto, não podemos esquecer que já existem softwares específicos voltados para a área jurídica. Seu uso otimiza diligências básicas, mas que são demoradas, como a busca de jurisprudência e o monitoramento de processos, dentre outras.

Com certeza, o setor jurídico da sua empresa pode ser mais eficiente. Com o uso dos recursos tecnológicos atualmente disponíveis no mercado, é possível tornar o trabalho mais rápido, diminuir erros e atender a mais clientes.

Já há um mercado tecnológico especializado na gestão advocatícia. Tecnologia não é assunto só para outras áreas e devemos saber usar esses recursos da melhor maneira possível. Na realidade, a seara jurídica pode ser campo fértil para o desenvolvimento desses recursos.