Como entrar no Mundo das Legaltech

Muitos advogados e advogadas, ao avaliar o atual panorama jurídico, se perguntam como entrar poderiam adentrar no mundo das chamadas legaltechs. Sabemos que todos os campos de atuação estão mudando em função da transformação digital. Com o mundo não seria diferente.

Para aqueles que querem entender melhor essa transformação tecnológica e as novas tendências no setor jurídico, preparamos este artigo sobre legaltech, abordando desde o conceito até o impacto que fora promovido no cenário jurídico e no mercado.

O que é Legaltech?

O conceito tem origem na língua inglesa, sendo a junção de dois outros termos, Legal (Legal) e Tecnology (Tecnologia). Legaltech é, portanto, o conjunto de tecnologias aplicadas ao âmbito jurídico para digitalização, organização e aceleração de trâmites, ou seja, robotização para gestão de tarefas. 

Com efeito, mediante esta ferramenta é possível dinamizar diversos processos. Como exemplo, através da legaltech é possível analisar uma área específica do Direito, seu funcionamento e sua aplicação prática; organizar processos de produção e trabalho; identificar falhas, ineficiências, irregularidades; atualizar de forma automática a evolução de normas e jurisprudências, bem como promover de forma mais simplificada e rápida a organização de informação e traçar previsões para montar estratégias de ação.

Há um vasto campo de oportunidades de atuação e as legaltechs têm sido usadas tanto por instituições privadas e escritórios de advocacia, quanto por órgãos públicos. Ademais, outro termo em destaque é lawtech. Enquanto o primeiro termo abarca, em geral, todas as tecnologias aplicadas ao setor jurídico, dando suporte e melhorando a prestação de serviços, o último costuma se referir a Startups relacionadas ao mundo jurídico. 

Como as legaltechs mudam o mercado?

Já que as legaltech têm possibilidades muito diversificas de atuação, as mudanças são também múltiplas e, assim, correlacionadas com o setor específico em que a tecnologia foi empregada. Mas, de maneira geral, os maiores benefícios estão na renovação e digitalização do setor jurídico.

As legaltchs também desenvolveram soluções para a melhoria na eficiência e agilidade das atividades. Dessa forma, há desenvolvimento e melhoria nos processos de trabalho dos advogados, instituições e a própria administração pública.

Outro ponto marcante é que o uso de Big Data permite otimizar a gestão de dados. As informações são armazenadas e usadas para melhoria dos serviços, para avaliação e previsão dos comportamentos (de mercado ou dos tribunais, por exemplo) e, inclusive, para a captação de clientes. 

A melhora da eficácia, com automações e com o uso de robotização reduz o tempo de trabalho para cada serviço. Consequentemente, há redução de custos: serviços melhores, com preços reduzidos.

O setor das legatechs apresenta inovação, diversidade, interdisciplinariedade. Os negócios são escaláveis. Ademais, há grande possibilidade de expansão, constituindo um cenário ideal para investidores e empreendedores. De fato, modelos de negócio com legaltech têm crescido exponencialmente em todo o mundo.

Por onde começar?

Um profissional do Direito que pretenda incorporar-se a este novo paradigma e, assim, usar das ferramentas tecnológicas atuais deve, primeiramente, pesquisar as possibilidades de emprego dessas tecnologias. Como são incontáveis os recursos disponíveis, traçar um panorama geral é indispensável. 

A partir desse conhecimento básico, se pode partir para a avaliação do que melhor se adequa ao trabalho desenvolvido ou qual trabalho se pretende desenvolver e quais as ferramentas para o caso especifico.

Seguir e até participar de comunidades que usam ou debatem o tema pode ser uma maneira interessante de conhecer mais sobre o assunto; descobrir quais são os pontos mais importantes e significativos. Também pode ser uma maneira de conhecer os profissionais da área e o trabalho que desenvolvem.

Um investimento interessante e útil seria aprender e desenvolver alguma habilidade relacionada com tecnologias que não seja habitual entre outros profissionais do Direito. As empresas e setores que usam legaltech têm interesse por profissionais polivalentes. Uma habilidade funcional e não habitual pode ser um diferencial profissional marcante.

O mais importante, ao final, é começar, mover-se rumo ao desenvolvimento e ao crescimento profissional. Se ao longo do caminho forem necessários ajustes ou mudanças de rota, já ocorreu crescimento pessoal e absorção de conhecimentos no trajeto percorrido.

Existem caminhos tradicionais para entrar no mundo legaltech?

Existem rotas tradicionais, como cursos, pós-graduações e mestrados sobre o tema, em diferentes áreas de atuação. Entretanto, são ainda poucas opções, sobretudo se comparado a outras linhas de estudo.

Em que pese o reduzido número de opções, existem alternativas interessantes caso se queira entrar no mundo das legaltech pela via tradicional, que é estudando em uma instituição de ensino.

Para aqueles que desejam se instruir de maneira menos formal, existem muitas publicações acadêmicas. Ademais, por ser relativamente novo, com acentuada correlação com outras disciplinas, frequentemente são realizados congressos, simpósios e palestras sobre o tema.

No exterior, muitas universidades estão percebendo a importância do assunto e acrescentando legaltech a planos de estudo, em diversos cursos. Vale cogitar a opção de realizar um curso à distância, sobretudo neste período em que muitos cursos exclusivamente online tem sido ofertados.

Conclusões

Legaltech é um conjunto de tecnologias que ajudam o profissional do Direito no exercício de suas funções, sejam advogados ou quaisquer outros operadores. Mas, o cliente também é beneficiado.

Clientes, ou quaisquer outros cidadãos, recebem melhores serviços. Ademais, há mais facilidade no acesso a informações e no acesso aos profissionais. A melhor atenção ao cliente, a agilidade e eficiência marcam uma grande melhoria em relação aos serviços tradicionais.

É possível observar, portanto, que os benefícios são para todos. Sendo assim, é interessante que os profissionais da área expandam seus conhecimentos para as questões relacionadas à legaltech.

Sendo o conjunto de tecnologias aplicadas às atividades jurídicas, está presente em áreas de atuação bastante amplas e diversificadas. Com efeito, são vastas as possibilidades para os profissionais, que podem tanto adotar medidas para melhoria do trabalho que já executam, como se reinventar para realizar novos trabalhos.

As inovações trazidas pelas legaltechs já são uma realidade da qual os profissionais não se poderão esquivar. Os melhores serão os que lograrem reunir flexibilidade, capacidade de adaptação e absorção de novos conhecimentos e práticas. 

Por todo o exposto, torna-se evidente que legaltechs já promoveram otimização e automatização de muitas tarefas no âmbito dos serviços jurídicos. Isto não significa que as soluções tecnológicas substituirão advogados, ou outros profissionais do direito. O que se busca é encontrar soluções para tornar o serviço mas eficiente. O que se busca é crescimento e desenvolvimento, não substituição.