Dicionário Tech

No cenário corporativo e na era digital, alguns termos foram incorporados ao cotidiano. Muitos de origem na língua inglesa, seus significados nem sempre são claros. Isso faz com que seu uso ocorra, muitas vezes, de forma imprópria, trazendo confusão e alguns problemas de comunicação. 

Levando isso em consideração e partindo do pressuposto que uma comunicação fluida e atualizada é fundamental, preparamos um breve Dicionário Tech, para que você descubra alguns destes termos e seus significados.

O Que é Outsourcing?

No mundo dos negócios, se utiliza muito o termo Outsourcing, cuja definição é terceirização. A terceirização, por sua vez, conceito já muito mais conhecido, se refere ao ato de uma empresa contratar outra pessoa jurídica ou profissional para realizar uma determinada função ou atividade que não seja a sua atividade principal. 

As possibilidades de utilizar Outsourcing são muito vastas, sendo uma opção viável para todas as atividades que, não sendo essenciais para a empresa, possam ser delegadas a outra instituição. 

O interessante é que o termo ganhou nuances especiais. Mais que simples “terceirização”, o uso do termo se harmoniza com os novos paradigmas do empreendedorismo, que estimulam que o empreendedor se concentre em sua atividade principal, focando no que faz de melhor e deixando atividades secundárias a cargo de especialistas. 

Tradicionalmente, a terceirização é delegada a funções afastadas da atividade central da empresa, como atividades administrativas ou de manutenção do espaço físico, como serviços de limpeza ou de reparos, ou atividades contábeis, de tecnologia e comunicação. Assim, com o termo Outsourcing se faz menção à transferência de funções de uma empresa contratante a outra contratada, que tenha expertise ou infraestrutura para a realização de determinado trabalho.

Como se pode observar, Outsourcing tem um carácter estratégico, com a realização de parcerias, em que uma organização especializada assume determinada função ou serviço, de forma que a atividade empresarial tenha mais eficácia, alcance resultados inovadores e se destaque no mercado.

A relação entre a empresa contratante e a contratada vai além da prestação de serviço, de maneira que é estabelecido um vínculo colaborativo, para crescimento mútuo e para a entrega final de melhores resultados aos clientes.

O que é BI?

BI é uma sigla para a expressão Business Intelligence, Inteligência de Negócios. Esta sigla, ao final, abrange uma serie de ações para a otimização dos processos internos da empresa, com o objetivo de minimizar falhas, ganhar eficiência e manter o negócio em destaque no mercado.

Neste processo, estão envolvidos todos setores da empresa, como administrativo, operacional, financeiro, comercial, de marketing, etc, ou seja, todos os setores integrados pela Gestão Empresarial.

Portanto, BI reúne as estratégias, teorias, estruturas, metodologias e tecnologias empregadas pela Empresa como ferramentas de Gestão. Através dos mecanismos de Business Intelilligence é possível fazer uma reunião, interpretação e análise de dados e informações para que o gestor empresarial possa identificar oportunidades e minimizar riscos para o negócio. 

Através da reunião de dados e evidências, por sua vez, é possível tomar ações de maneira consciente e estratégica, o que tem correlação direta com a obtenção de resultados. Como exemplo do que se analisa com os mecanismos de BI, poderíamos citar as curvas e tendência de consumo; análises quanto a clientes que mas compram e seu perfil, momento/decisão de compra; quais produtos tem maior saída; quais produtos tem maior rentabilidade; comportamento do público alvo e constante rastro desse publico, para perceber eventuais mudanças de comportamento. 

As ferramentas do Business Intelligence permitem, assim, maior eficiência na prestação dos serviços ou na produção, melhoria nas vendas e consequentemente, maior lucratividade. 

 O que é Dashboard?

Dashboard é uma ferramenta utilizada para gestão da informação, um documento que reúne em um único quadro várias métricas e dados. Em um Dashboard podem estar presentes tabelas, gráficos, imagens e quaisquer outros recursos que possibilitem a visualização de um panorama completo, com as informações relevantes e estratégicas para a toma de determinadas decisões. 

Evidentemente, o Dashboard deve estar construído de maneira a atender às demandas específicas da Empresa, ou mesmo de determinado setor ou de um projeto ou serviço determinado. Através desta ferramenta, se pode fazer de maneira simples e visual a exibição de Indicadores Chave de Performance (KPIs).

Por suas características, o Dashboard é excelente para avaliar métricas, dados e informações, já que estes elementos necessitam estar integrados. Assim, a organização conjunta destes elementos auxilia e possibilita uma análise ampla, a qual é imprescindível para uma boa gestão do negócio. 

O que é Data Science?

Data Science é uma Ciência dedicada ao estudo da informação e aos processos envolvidos, como captura, transformação e geração de informação, além do estudo da posterior análise de dados. É uma ciência interdisciplinar, que integra conhecimentos da matemática, informática, computação e estatística, por exemplo. 

Através da Data Science é possível fazer um estudo enfocado aos dados e informações relacionadas a determinado negócio, recolhendo e analisando informações pertinentes. O primeiro passo é reunir a informação e compilá-la. A partir disso, se passa à análise e interpretação da informação, de forma que se possa gerar previsões com o máximo de precisão para o negócio.

Portanto, o trabalho desenvolvido por Data Science vai além de uma simples análise de dados, para mera observação do panorama de mercado. O principal objetivo é a previsão de movimentos futuros a partir dos dados colhidos e analisados, de forma que se possa prever, com a maior exatidão possível, comportamentos, tendências e acontecimentos prováveis.

O que é Legal Design?

Legal Design é o conjunto de novos paradigmas institucionais para o universo jurídico que tem como objetivo o desenvolvimento de soluções estratégicas e inovadoras, mesclando Direito, Tecnologia e Design.

O grande diferencial do Legal Design é a ideologia transversal em todas as propostas, que busca eficiência e rentabilidade, mas com o objetivo primordial de entregar valor a cada produto ou serviço. Há um enfoque nas necessidades humanas, na ética e na compreensão dos problemas de cada cliente. 

Um dos grandes diferenciais da aplicação do Legal Design é justamente o trato diferencial com os clientes, de maneira que para cada solução tenha existido um caminho de melhorias constantes, com comunicação e humanidade.

O Legal Design desloca da atividade jurídica o foco que antes estava nop sistema normativo em si, da norma, e o coloca no cidadão, nas pessoas humanas envolvidas, tendo uma visão empática de suas necessidades. 

É interessante destacar que não se trata apenas de uma proposta de mudança de paradigma na interpretação das normas, mas sim em todo o ordenamento jurídico, que ademais das leis, integra doutrina, decisões judiciais, decisões administrativas, jurisprudências, norma infra legais, políticas de governo, etc. Também estaria diretamente afetada a atuação dos operadores do direito, nas suas mais diversas funções. 

O que é ETL (Extract, Transform and Load)?

ETL é uma sigla que significa Extract, Transform and Load e se refere ao processo de carga de dados, através da utilização de softwares e programações que criam sistemas integrados. Assim, o objetivo é a formação de um bando de dados. 

O processo de ETL extrai dados de diversas fontes, que normalmente não são homogêneos nem estão integrados, para então alimentar a base de dados de maneira uniforme e sistematicamente coerente. A partir disso, são gerados gráfico e relatórios.

ETL é, portanto, uma poderosa ferramenta de Gestão da Empresa, já que fornece dados a partir da integração de fontes variadas, o que permite que as decisões na Administração da Empresa sejam mais conscientes.

Conclusão 

Esperamos que estes termos possam auxiliar na atualização, comunicação e na própria gestão do seu negócio. Ademais, o cenário jurídico tem muito a ganhar ao incorporar estes conceitos e ferramentas. 

Com efeito, todos as ferramentas tratadas acima estão harmonizadas com as novas estruturas e novos paradigmas da Gestão Corporativa. 

Portanto, podem ser grandes aliadas e levam em si um grande potencial de elevar as instituições a um novo patamar de qualidade, eficiência, ética e rentabilidade.