O porquê do “Tech” de Insurtech

As empresas de seguro integram um mercado forte no Brasil. Com grande relevância na economia, uma das áreas que mais movimenta ativos no país é justamente o mercado de seguros. 

Entretanto, apesar do grande fluxo de capital, pode ser considerado um setor rígido, fortemente regulado e burocrático. 

As Insurtechs surgiram como a proposta inovadora de transformar tecnologicamente o setor, digitalizando processos, cálculos e promovendo uma desburocratização dos serviços.

O que é Insurtech?

Insurtech é uma denominação oriunda da junção das palavras da língua inglesa Insurce (seguro) e Tech ( tecnologia). As Insurtech são, portanto, seguradoras que oferecem seus serviços de maneira informatizada, usando novas tecnologias. 

Estas empresas oferecem seguros cuja contratação se da por plataformas digitais, de forma mais rápida, prática, a custos normalmente mais baixos que a empresas tradicionais do setor. 

As inovações implementadas pelas Insurtechs atendem com maior eficácia o cliente. São usadas tecnologias como Inteligência Artificial, Blockchain, Machine Learning.

A utilização de novas tecnologias, a fluidez de informação, a desburocratização e todas as transformações propostas auxiliam na maximização dos resultados da empresa. Os ganhos vão além do negócio em si, gerando benefícios para todos os envolvidos: seguradoras, corretoras e segurados.

O porquê do “Tech” de Insurtech

A grande inovação das Insurtechs está justamente na oferta de modelos de operação mais otimizados, realizadas através das utilização de plataformas inteiramente digitais, o que ademais de agregar praticidade e alcance, rebaixa os custos e permite que a empresa tenha preços mais competitivos.

O objetivo das Insurtechs é, portanto, usar tecnologia para entrar no mercado oferecendo seguros mais personalizáveis, com uma contratação mis ágil, a preços competitivos. Isso ocorre em direta oposição aos produtos fechados e à contratação burocrática das empresas tradicionais. 

O enfoque no uso das tecnologias, nas mais amplas aplicações de ferramentas digitais, faz com que se torne clara a correlação entre esta categoria de seguradora e o uso do termo “Tech” para denominá-la. 

Os benefícios ao consumidor final são igualmente claros, já que estes têm a oportunidade de contratar um serviço mas adequado às suas necessidades, de maneira mais fácil e por um menor preço. 

Qual o público alvo das Insurtechs?

Estas empresas normalmente dirigem seus produtos a uma grande gama de clientes, tendo um público alvo bastante extenso. Isso é plenamente possível diante dos produtos personalizáveis. 

Sendo assim, as Insurtech ofertam seus produtos a pessoas físicas ou pessoas jurídicas que desejem adquirir qualquer dos mais diversos tipos de seguro (seguro de carro, de casa, de vida, seguro de viagem, seguro para equipamentos, seguro de saúde, etc).

A ideia destas empresas é que qualquer pessoa, mesmo as que não estavam habituadas a contratar seguros, usando seu smartphone, possa contratar um produto adequado a suas necessidades.

Quais as diferenças entre as Insurtechs e as seguradoras tradicionais?

As empresas tradicionais normalmente são burocráticas e possuem uma relação pouco flexível de apólices. O número de categorias é reduzido e totalmente despersonalizado.

Assim, muitas vezes o cliente paga por um nível de risco que em realidade não se encaixa ao seu perfil, porque teve de contratar uma categoria genérica, por não existir uma apólice mais adequada às suas características pessoais.

As Insurtechs então pensadas justamente para reformular a relação com os clientes, reconstruindo a maneira como o produto é oferecido. Entre as diferenças das Insurtechs para a empresas tradicionais, podemos destacar:

  • Otimização de procedimentos, através da utilização de interface digital;
  • Maior escalabilidade, uma vez que as operações online permitem que uma mesma empresa ofereça os serviços em diversas cidades e estados;
  • Oferta de produtos personalizáveis, que se adequem às necessidades reais dos clientes;
  • Preços mais ajustados ao produto contratado;
  • Abordagem mais amigável e próxima ao cliente;
  • Possibilidade de contrata contratação da apólice por evento ou por período, o que demonstra maior flexibilidade;
  • Finalização da contratação com agilidade em tempo real.

Quais os benefícios que as Insurtech trazem para o setor de seguros?

Evidentemente, os avanços e benefícios trazidos pelas Insurtech são muitos, mas apresentamos abaixo uma lista não exaustiva de possíveis benefícios.

Para o consumidor final, ademais das facilidades de contratação, é importante destacar a clareza na relação contratual e o modelo de atenção personalizada. 

Além disso, havendo relação mais amistosa com os clientes, é possível entender melhor suas expectativas e anseios. Por sua vez, uma vez que estas expectativas são conhecidas, é muito mais fácil atendê-las com eficiência e agilidade. 

Eficiência e agilidade na atenção a demanda dos clientes auxilia na qualidade de vida das envolvidos, tanto clientes como todos os que trabalharam na cadeia produtiva ate a entrega final do produto.

A fluidez na negociação das contrações pode refletir em um maior número de vendas, aumentar ingressos e contribuir para a saúde financeira da empresa. 

Com os procedimentos meramente administrativos suplantados pela automação (ou ao menos agilizados) um maior número de membros da equipe pode dedicar-se à atividade de captação de clientes, estratégias de escalonamento de vendas, atividades mais estratégicas e analíticas de maneira geral, etc. 

Dessa forma, com maior atenção às atividades mais intelectualizadas, há um engrandecimento na qualidade dos serviços e, por consequência, nas vendas e na estabilidade financeira do negócio.

Ao receber atenção personalizada, com bons canais de escuta e de atendimento ao cliente, o nível de satisfação pós-venda tende a ser bastante alto. Deixar os clientes satisfeitos é uma condição intransponível para gerar fidelização. 

Quanto mais empresas do ramo estão fortes e operativas, mas o próprio mercado ganha forca e projeção no cenário econômico, do país e do mundo.

Desafios enfrentados pelas Insurtechs

Um dos principais desafios para a implementação e para o crescimento das a Insurtechs no Brasil é o rigor da regulamentação pertinente. O setor dos seguros é um mercado altamente regulamentado e as empresas tem de atender muitas exigências legais. 

Por esta razão, muitas Startups de Insurtech têm o seu funcionamento condicionado a seguradoras tradicionais parceiras, porque são estas que administram a subscrição e gerenciam os riscos dos sinistros.

Como as Insurtech estão conquistando boa parcela do mercado, com um modelo mais refinado, uma relação mais fluida e amigável com os clientes, espera-se que seu crescimento pressione alterações legislativas para que os modelos digitais de seguro sejam adequados e considerados nas normas regulamentadoras do setor. Esse, sem dúvida, seria um grande avanço.