Por que as Lawtechs estão agitando o mercado jurídico?

A crise relacionada à pandemia e as inúmeras restrições impostas acabaram criando um cenário adequado para o crescimento de Startups. 

Nesse contexto, estão também as Lawtechs, como um novo modelo de negócio que une a tecnologia ao mundo jurídico.

De fato, esse modelo é uma nova tendência no mercado, facilitando processos, aumentando a produtividade e trazendo soluções aos novos paradigmas. 

Mas, quer saber por que as chamadas Lawtechs ou Legaltechs estão agitando os mercados? Descubra aqui os motivos e saiba aproveitar essa onda positiva.

Um mundo novo, um novo mercado

Ainda não está claro por quanto tempo as medidas de distanciamento social estarão em vigor. Mas, fato é que um mundo pós-pandemia será diferente e que todos os profissionais se viram obrigados a adaptar sua dinâmica de trabalho.

Jornadas profissionais em regime de home office, reuniões por videoconferência, uso constante de tecnologias da comunicação e de outras ferramentas já são uma realidade, não apenas na esfera privada, mas também na pública. 

Por isso, perguntamos, quando as restrições forem finalmente suspensas, os advogados voltarão à antiga maneira de trabalhar? O que teremos aprendido com tudo o que estamos passando? É muito provável que algumas das formalidades, até então comuns, comecem a parecer muito antiquadas e desnecessárias. 

Veremos uma mudança para um judiciário mais informal e possivelmente mais acessível? Isso já está acontecendo com a possibilidade de realização de audiências virtuais e até de citação por aplicativos de mensagens. Mais do que nunca, a tecnologia pode e deve ser uma grande aliada do profissional do Direito e aí também surge um novo mercado.

As Lawtechs e o novo normal

Já ouviu falar na expressão “o novo normal”? Depois de um período restritivo, em razão de uma crise sanitária, o retorno à normalidade vai ser diferente. Há uma série de cuidados que já foram incorporados à dinâmica do cotidiano. Já começou o nosso novo normal. 

Esta é uma oportunidade para considerar como a prestação do serviço jurídico realmente pode se beneficiar desse cenário. Claro que muitos serviços ficaram paralisados e que voltarão quando as restrições terminarem. Algumas audiências, como julgamentos com júri, possivelmente não funcionariam remotamente. 

Mas, se espera que o operador do Direito, ao realizar suas inúmeras tarefas, como o gerenciamento de casos e audiências e o atendimento aos clientes, por exemplo, saiba aproveitar da melhor forma esse período de transição. 

Isso significa aproveitar ao máximo a tecnologia de trabalho remoto, o que evitou a paralisação de muitos setores. Assim, nesse cenário atual, é possível observar um aumento das Lawtechs para ajudar a mover tantos processos online quantos forem necessários, deixando o presencial apenas para o essencial.

O melhor está por vir

A tecnologia ajudou na globalização da prática jurídica e deu um novo ânimo para o setor. Os advogados de amanhã (e do hoje) tem o benefício de poder usar ferramentas e soluções digitais mais abrangentes para fornecer serviços jurídicos.

De fato, muitas ferramentas já estavam disponíveis há algum tempo, mas seu uso ainda não era tão disseminado. É muito provável que a digitalização continue sendo intensificada em um mundo pós-pandêmico. O clima atual reforça um maior investimento em tecnologia e isso abre espaço para o surgimento e crescimento de Lawtechs no mercado.

Essa trajetória positiva tende a se aprofundar nos próximos anos, a medida em que a indústria se familiariza com operações mais modernas. No final das contas, podemos esperar soluções mais ousadas para consumidores, incluindo aqueles do cenário jurídico. 

Portanto, com a maioria dos profissionais jurídicos dando os seus primeiros passos em direção ao uso constante da tecnologia, podemos esperar um mercado mais amadurecido. A tendência é de que se continue a experimentar, investir e aceitar as vantagens das estações de trabalho sem papel e das ferramentas digitais.

As Lawtechs agitando um mercado com uma economia em queda

Claro que num contexto de pandemia, com tantas restrições e dificuldades, a economia acaba saindo prejudicada. Muitos setores se viram extremamente afetados. Talvez o setor jurídico seja até uma exceção. 

Diante de tudo o que foi mencionado, observamos que as perturbações econômicas causadas pela pandemia podem ter beneficiado o crescimento das Lawtechs. Alguns escritórios de advocacia e consumidores legais agora estão usando procedimento mais rápidos e também mais econômicos.

Isso inclui uma significativa diminuição de deslocamentos presenciais, o que reduz os custos para todas as partes envolvidas nos processos. As Lawtechs podem oferecer soluções que otimizem e facilitem esta nova forma de trabalhar. 

Por isso, o cenário de um mercado com uma economia em queda pode potencialmente abrir espaço para alternativas tecnológicas mais baratas e, consequentemente, gerar um aumento do investimento e do reconhecimento de empresas iniciantes.

Isso permitirá que as Lawtechs existentes continuem crescendo ao lado de fornecedores de tecnologia estabelecidos, aumentando sua capacidade de emergir das sombras e redefinir o setor jurídico.

Conclusão

Viu só por que as Lawtechs estão agitando o mercado? O mais provável é que as práticas jurídicas virtuais continuem persistindo após a pandemia. Por isso, os profissionais jurídicos precisam aproveitar essa onda positiva. 

Isso significa que mais escritórios de advocacia e empresas estarão interessados ​​em alavancar soluções tecnológicas para melhor a eficiência dos processos, com redução dos custos. Essa abordagem estratégica já foi demonstrada, uma vez que os departamentos jurídicos estão considerando usar mais tecnologia ao lado de provedores de serviços jurídicos alternativos.

No entanto, sempre há quem mostre resistência e no setor jurídico isso não será diferente. Algumas empresas tendem a buscar uma resposta defensiva, preferindo prosseguir com suas operações convencionais e não mudar o status quo

Mas, o mundo já é outro e quem não quiser se adaptar, pode estar fadado ao fracasso. Até quando o profissional jurídico poderá ficar alheio a um novo paradigma global? Não por muito tempo, por isso o mercado pede a cada dia mais os serviços das Lawtechs.